Chá: a mais democrática das bebidas

“Me dá pena do meu chinês…

Por ele eu passava o dia inteiro a meditar,

bebendo chá verde

Ele me diz:  fica feliz que vai funcionar”

Esses versos estão na música Chá Verde, da cantora e compositora Tiê. Enaltecem o valor do chá e associam o produto aos orientais.  Porém, hoje o chá não se restringe ao mundo oriental – está cada vez mais sendo consumido em todo o mundo, inclusive no Brasil.

Aliás, o país é riquíssimo no que diz respeito a oferta de ervas, algumas certamente ainda a serem descobertas na imensidão da floresta amazônica, por exemplo. “A Índia é um dos países que mais produzem chás e importamos muito de lá também”, informa a nutricionista Glicéria Morais, do Projeto Eu.

Recomendado para todas as idades e valioso para o bem estar do corpo e da alma, o chá pode ser considerada a mais democrática das bebidas.  Quem se dispõe a estudá-la, certamente se encanta com as variedades, receitas, cheiros, cores e sabores.

A nutricionista conta que “os costumes no Brasil antes estavam mais restritos ao chimarrão no sul e ao chá mate na nossa região. Seu uso também era estimulado pelos benefícios divulgados pela cultura popular. Mas hoje,  com o avanço da nutrição, a gente começou a identificar os vários compostos terapêuticos nos chás e o uso do produto vem sendo expandido e feito de maneira mais correta.”

Glicéria conta que têm sido feitas muitas pesquisas científicas que mostram a importância de várias ervas para a saúde, que podem ser consumidas não só no formato de chá, mas também encapsuladas e até como tempero.

Consumo dele ser orientado

O consumo do chá pode ser feito de várias maneiras, não somente quente – pode se tomar gelado ou congelar em cubos para acrescentar em outras bebidas, por exemplo.

Porém, para extrair o melhor das ervas é preciso saber prepará-las. Raízes, cascas e sementes, por exemplo, são feitos através da decocção, ou seja, são fervidos junto com a água.  Folhas, através da infusão – colocados na água já fervida.

Pode ser natural – de preferência orgânico, ou seja, sem compostos químicos no cultivo – ou desidratado, desde que o processo seja bem feito.

Com algumas poucas exceções (o chá de hibisco, por exemplo, não é recomendado para gestantes), a bebida pode ser tomada por qualquer pessoa em qualquer idade.

“Ele acalma nosso estômago, ele trata, previne doenças, tem usos muito importantes e variados. Mas o efeito é gradativo e muita gente se esquece disso também”, diz a nutricionista.

O mais importante, ressalta Glicéria, é sempre saber sua origem e sua função. Saber para que e quando tomar.

Depois, é só desfrutar do prazer que é tomar essa bebida num fim de tarde frio, ou entre os amigos durante um bom bate papo.

Gostou? Venha conhecer o Projeto EU e tomar um chá com a gente! Rua Lituânia, 1010 – Jd. Pagliato. 15 4141-3950.

 

Quer conhecer o Projeto EU? Cadastre-se ou entre em contato pelo WhatsApp

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado.